“Seminário de fitoterápicos: Valorização dos Saberes e Fazeres Terapêuticos…

Entre 9h30 e 17h20, ao vivo, a programação será exibida no canal do YouTube do Instituto Anísio Teixeira e nas redes da Mostra

No último dia da Mostra, 31 de julho, acontece o “Seminário de fitoterápicos: Valorização dos Saberes e Fazeres Terapêuticos Quilombolas”. Da abertura ao encerramento, serão diversas atividades, desde apresentações de comunidades quilombolas, livro, palestras, rodas de conversa e apresentações artísticas, tudo entre 9h30 e 17h20, ao vivo, no canal do YouTube do Instituto Anísio Teixeira e no Facebook da Mostra

Os fitoterápicos são remédios produzidos a partir de vegetais ou plantas considerados medicinais. A Organização Mundial de Saúde (OMS) reconhece que, em especial nos países em desenvolvimento, cerca de 80% da população utiliza práticas tradicionais nos cuidados básicos de saúde, em sua maioria, a partir de plantas ou de suas preparações.

No Brasil, numa tentativa de incorporar essas tradições às políticas de saúde e de valorizar os saberes das comunidades e povos tradicionais, foi implantado, em 2009, o Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos. Entre os princípios que orientam o Programa estão a ampliação das opções terapêuticas e melhoria da atenção à saúde aos usuários do Sistema Único de Saúde – SUS; o uso sustentável da biodiversidade brasileira; a valorização e preservação do conhecimento tradicional das comunidades e povos tradicionais; o fortalecimento da agricultura familiar; o crescimento com geração de emprego e renda, e redução das desigualdades regionais; o desenvolvimento tecnológico e industrial; a inclusão social e a redução das desigualdades sociais; a participação popular e controle social.

A valorização desses saberes populares estará no centro dos debates do Seminário de Fitoterápicos que, na abertura, contará com a participação de Ananias Viana do Centro Cultural do Vale do Iguape – comunidade quilombola Kaonge, além da apresentação de vídeos sobre comunidades quilombolas. Os debates serão mediados por Helca Lícia da Coordenação Executiva de Pesquisa, Inovação e Extensão Tecnológica (Cepex) da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) e Carla Craice do grupo de pesquisa Nyemba (Processos Sociais, Memórias e Narrativas Brasil/África) da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab). 

Entre 09h50 e 10h30, Jorge Silveira, engenheiro agrônomo e extensionista rural da Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater), do governo da Bahia, fará a palestra sobre a importância do uso de fitoterápicos com demonstrações de espécies e variedades fitoterápicas.

A farmacêutica Mayara de Queiroz da Secretaria Estadual de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) abordará comprovações do uso de fitoterápicos na saúde humana e falará sobre plantas medicinais cultivadas no Recôncavo, de 10h30 às 11h20. A programação segue com a primeira rodada de perguntas dos inscritos no evento e respostas dos palestrantes entre 11h20 e 12h.

Dando início aos trabalhos da tarde de sexta-feira, serão exibidas as rodas de conversas na comunidade quilombola Kaonge, no município de Cachoeira, de 14h às 14h30, e de 14h30 às 15h, na comunidade quilombola Monte Recôncavo, município de São Francisco do Conde. 

A valorização dos saberes e fazeres terapêuticos será abordado pela professora Elen Sonia Rosa, do Instituto Federal Baiano (IFBaiano). Agrônoma e doutora em Fitotecnia, ela pesquisa plantas medicinais, aromáticas e condimentares, agroecologia, olericultura, agricultura familiar, homeopatia na agricultura e pecuária, educação ambiental e meio ambiente. Sua palestra será de 15h às 15h40. 

Depois, de 15h40 às 16h30, haverá a apresentação da segunda edição do livro “Fazeres e saberes terapêuticos quilombolas”. Lançado em dezembro de 2019 pela editora da Universidade Federal da Bahia (Edufba), a obra dos autores Fátima Tavares, Carlos Caruso, Francesca Bassi, Thais Penaforte e Fernando Morais foi a inspiração para o seminário de Fitoterápicos da Mostra. Estarão presentes quatro dos pesquisadores organizadores, que irão expor importantes contribuições da obra. De 16h30 às 17h, haverá a segunda rodada de respostas às perguntas enviadas pelo chat. Para finalizar, de 17h às 17h20, a potência dos cânticos das comunidades quilombolas se fará presente, seguida das falas de encerramento do evento. 

Mostra Interterritorial Científica e Tecnológica da Bahia: tecnologia, inovação e vivências no rural será realizada integralmente on-line, de 27 a 31 de julho. O evento faz parte da 16ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT 2019), cujo tema é “Bioeconomia – Diversidade e Riqueza para o Desenvolvimento Sustentável”, e irá debater sustentabilidade, bioeconomia, agroecologia e segurança alimentar.  Mais informações: http://mostrainterterritorial.unilab.edu.br/